segunda-feira, outubro 18, 2021
19.3 C
São Vicente
19.2 C
Santos
18.8 C
Peruíbe
19.3 C
Praia Grande
19 C
Itanhaém
19 C
Guarujá
19.4 C
Mongaguá
19.1 C
Bertioga

Sincomércio diz: que 10% dos comércios da Região já fecharam as portas

Leia mais

‘Elas Fazem’ abre nova turma para capacitar mulheres na área da construção civil

Nova oportunidade de capacitação para mulheres na área da construção civil. O projeto "Elas Fazem", abre nova turma na área de pequenos...

Prefeitura de São Vicente oferece capacitação para preparação de vitrines de lojas

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e relações do Trabalho (Sedect), em parceria com o Senac/Sebrae disponibiliza o curso de Vitrinismo...

Ônibus intermunicipal é apedrejado em tentativa de assalto em Praia Grande

Na noite de sábado (16), um ônibus que operava na linha 934EX da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU),...

Otrantur não paga empresas que sublocam micro-ônibus e frota é paralisada em São Vicente

Na manhã desta segunda-feira (18), representantes de empresas que sublocam os micro-ônibus para a Otrantur, responsável pelo transporte público de São Vicente,...

O governo de São Paulo anunciou, nesta quinta-feira (11), a Fase Emergencial do Plano São Paulo, cujas medidas restritivas valerão entre os dias 15 e 30 de março. Agora, até mesmo atividades essenciais terão restrições mais rígidas.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista (Sincomércio-BS), Omar Abdul Assaf, criticou a decisão. “Entendo que nós precisamos salvar vidas, mas as vidas de muitos comerciantes estão sendo seriamente afetadas e até perdidas”.

Segundo ele, o comércio foi um dos mais atingidos com as paralisações e, diferentemente do ano passado, não há nenhuma perspectiva de ajuda. “No ano passado, o Governo Federal ajudou com recursos e prorrogou o pagamento de todos os seus impostos por vários meses como o FGTS, o PIS, o INSS, o COFINS e até o Imposto de Renda, além de ter pago o salário de alguns funcionários que tiveram redução de jornada. Dessa vez, não temos nenhum recurso para manter as portas dos estabelecimentos abertas”, lamentou.

Omar Abdul Assaf disse, ainda, que o novo plano deveria autorizar pelo menos o funcionamento em sistema de take away, e afirmou que 10% dos estabelecimentos comerciais da Baixada já fecharam as portas e, com essa nova restrição, muitos mais devem seguir o mesmo caminho. 

Fonte: Diário do Litoral

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

‘Elas Fazem’ abre nova turma para capacitar mulheres na área da construção civil

Nova oportunidade de capacitação para mulheres na área da construção civil. O projeto "Elas Fazem", abre nova turma na área de pequenos...

Prefeitura de São Vicente oferece capacitação para preparação de vitrines de lojas

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e relações do Trabalho (Sedect), em parceria com o Senac/Sebrae disponibiliza o curso de Vitrinismo...

Ônibus intermunicipal é apedrejado em tentativa de assalto em Praia Grande

Na noite de sábado (16), um ônibus que operava na linha 934EX da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU),...

Otrantur não paga empresas que sublocam micro-ônibus e frota é paralisada em São Vicente

Na manhã desta segunda-feira (18), representantes de empresas que sublocam os micro-ônibus para a Otrantur, responsável pelo transporte público de São Vicente,...

PAT de São Vicente oferece 8 vagas de emprego

Nesta segunda-feira (18), o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), de São Vicente, na baixada santista oferece 8 novas oportunidades de...