domingo, janeiro 23, 2022
27.4 C
São Vicente
27.3 C
Santos
26.7 C
Peruíbe
27.4 C
Praia Grande
27.7 C
Itanhaém
27.2 C
Guarujá
27.5 C
Mongaguá
27.1 C
Bertioga

Prioridade de venda de oxigênio a hospitais é aprovada pela Câmara

Leia mais

Carro usado para levar PM morto após tiro nas costas é encontrado

Um homem de 30 anos, suspeito na participação da morte do policial militar Jeferson Chapani Szklarski, de 38 anos, foi preso em...

Vazamento de dados pessoais de 160 mil chaves Pix

O Banco Central comunicou mais uma ocorrência de vazamento de dados pessoais de clientes vinculado a chaves do Pix, agora na instituição ...

Atriz Elizangela é internada em estado grave com sequelas da Covid

A atriz Elizangela, de 67 anos, foi internada na quinta-feira (20), em Guapimirim, na Baixada Fluminense. Em estado grave com sequelas respiratórias da Covid....

Bolsonaro volta ao Brasil para velório e enterro da mãe

Após interromper uma viagem internacinal e retornar ao Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (PL) chega em Eldorado, no interior de São Paulo,...

Nesta terça-feira (30) a Câmara dos Deputados aprovou o projeto que estabelece prioridade no atendimento integral da demanda da rede hospitalar pública ou privada durante a pandemia de covid-19. A medida é direcionada aos fornecedores de oxigênio. O texto será enviado ao Senado.

Segundo o relator, deputado Sanderson (PSL-RS), a proposta isenta as empresas fornecedoras de pagar multa contratual se deixarem de fornecer oxigênio a outros compradores ao priorizar o abastecimento da rede hospitalar. 

“É notório o substancial crescimento da demanda por oxigênio na rede hospitalar pública e privada. Segundo informações prestadas à Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19 pelo representante da única indústria nacional dentre as cinco maiores fabricantes de oxigênio do mercado brasileiro, apenas 20% do produto oxigênio se destinam à área da saúde”, afirmou o parlamentar.

A isenção da multa também se aplica a outras penalidades ou ações de perdas e danos, já que o projeto aprovado considera a situação uma conduta que exclui a empresa de responsabilidade civil por motivo fortuito ou de força maior. A prioridade terá vigência durante a declaração de situação de emergência de saúde pública.

“O que se objetiva com o projeto é fazer com que empresas fornecedoras de gás oxigênio não sejam penalizadas por priorizarem o salvamento de vidas em meio à pandemia da covid-19, sobretudo diante um quadro de risco de desabastecimento de oxigênio na rede hospitalar”, explicou o deputado Sanderson.

Fonte: Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Carro usado para levar PM morto após tiro nas costas é encontrado

Um homem de 30 anos, suspeito na participação da morte do policial militar Jeferson Chapani Szklarski, de 38 anos, foi preso em...

Vazamento de dados pessoais de 160 mil chaves Pix

O Banco Central comunicou mais uma ocorrência de vazamento de dados pessoais de clientes vinculado a chaves do Pix, agora na instituição ...

Atriz Elizangela é internada em estado grave com sequelas da Covid

A atriz Elizangela, de 67 anos, foi internada na quinta-feira (20), em Guapimirim, na Baixada Fluminense. Em estado grave com sequelas respiratórias da Covid....

Bolsonaro volta ao Brasil para velório e enterro da mãe

Após interromper uma viagem internacinal e retornar ao Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (PL) chega em Eldorado, no interior de São Paulo,...

Fiocruz aponta alta em casos de síndrome respiratória aguda

O Boletim InfoGripe Fiocruz, divulgado hoje (21) pela Fundação Oswaldo Cruz, aponta crescimento significativo de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)...