segunda-feira, outubro 18, 2021
19.3 C
São Vicente
19.2 C
Santos
18.8 C
Peruíbe
19.3 C
Praia Grande
19 C
Itanhaém
19 C
Guarujá
19.4 C
Mongaguá
19.1 C
Bertioga

Túnel Santos-Guarujá mais próximo da realidade

Leia mais

Prefeitura de São Vicente oferece capacitação para preparação de vitrines de lojas

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e relações do Trabalho (Sedect), em parceria com o Senac/Sebrae disponibiliza o curso de Vitrinismo...

Ônibus intermunicipal é apedrejado em tentativa de assalto em Praia Grande

Na noite de sábado (16), um ônibus que operava na linha 934EX da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU),...

Otrantur não paga empresas que sublocam micro-ônibus e frota é paralisada em São Vicente

Na manhã desta segunda-feira (18), representantes de empresas que sublocam os micro-ônibus para a Otrantur, responsável pelo transporte público de São Vicente,...

PAT de São Vicente oferece 8 vagas de emprego

Nesta segunda-feira (18), o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), de São Vicente, na baixada santista oferece 8 novas oportunidades de...

A ligação seca entre Santos e Guarujá, no litoral paulista, será mesmo o túnel e, segundo especialistas nunca esteve tão próxima de ser viabilizada. A obra tem similares em vários países e, além de garantir a continuidade da expansão do Porto de Santos, atende deslocamentos dos moradores da região. Os acessos serão junto aos centros urbanos das duas cidades, diferente da opção descartada: a ponte.

Estas e outras vantagens do túnel foram defendidas por especialistas e pela deputada federal Rosana Valle (PSB), em videoconferência realizada pela Portogente na segunda-feira, 26/4. A deputada afirmou que o estudo do BNDES sobre o modelo de desestatização do Porto fica pronto no primeiro semestre deste ano.

“E está mantido o compromisso do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, de incluir a obra do túnel na concessão da gestão do Porto. Levei o assunto pessoalmente até o presidente da República e continuo firme nesta luta”, disse a parlamentar.  

Assim, o investidor privado que ganhar a concessão para a gestão do Porto de Santos terá a obrigação de fazer o túnel, cujo custo, estimado em R$ 3 bilhões, segundo o executivo Ricardo Machado, da Boskalis/Brasil, é o mesmo da ponte, cuja implantação traria enormes impactos nas cidades, sobretudo em Santos, além de necessitar de muitas desapropriações. 

O diretor de Negócios da Santos Port Authority – SPA, Bruno Stupello, lembrou que continua aberto o chamamento para empresas entregarem estudos sobre o túnel, que incluem todos os aspectos, desde financiamento à modelagem jurídica. E que o leilão da desestatização da gestão do Porto vai ocorrer em 2022, sem interferências da agenda política do País.

O engenheiro Casemiro Tércio, consultor privado e ex-presidente da SPA, lembrou que a ligação seca não andou nestes anos porque era uma obra que dependia 100% de recursos públicos: “Não foi aprovado o aumento da capacidade de endividamento do Governo do Estado de São Paulo, o que impediu que o poder público contraísse empréstimos para financiar a obra”, lembrou Tércio.

O especialista vê na contraprestação de serviços uma garantia de retorno para o investidor, dando como exemplo a demanda reprimida nos serviços de balsas. “Se há a garantia, pelo túnel, de uma travessia rápida e imediata, sem filas, o volume aumenta significativamente”, afirmou o ex-presidente da SPA, que vê o momento muito próximo para “tirar o túnel do papel”. Tércio deu exemplos de sucesso de concessões nestes moldes nos rodoaneis de Barcelona (Espanha) e Santiago (Chile). 

Ricardo Machado disse que já foram construídos muitos túneis na Suécia, Alemanha, México, mais longos que os 900 metros entre Santos e Guarujá. “Está em obra um túnel de 18 km ligando a Alemanha à Dinamarca. Esta técnica é segura e vem sendo empregue há dez anos. O que precisamos garantir é a segurança jurídica e financeira para que a obra seja feita pelo setor privado rapidamente, sem riscos”.

O arquiteto e professor da UniSantos, José Marques Carriço, alertou para o risco dos impactos da ligação interferirem numa área, entre as avenidas Bernardino de Campos e Conselheiro Nébias, em Santos, onde estão localizados 40% dos empregos na Baixada Santista, segundo a última pesquisa Origem/Destino. Carriço lamentou a falta de novos estudos de planejamento regional e lembrou que os impactos da Rodovia dos Imigrantes, por exemplo, causaram problemas por décadas em São Vicente.

A deputada Rosana Valle lembrou que a Ponte Pênsil, inaugurada em 1914, como parte do projeto de saneamento de Saturnino de Brito, acabou congelando o desenvolvimento de São Vicente por inviabilizar a navegação no estuário vicentino por embarcações de médio e grande porte.

“Embora ainda aberta e tendo cumprido importante papel, a bonita Ponte Pênsil, por ser muito baixa, tirou de São Vicente uma importante opção de desenvolvimento econômico e social, penalizando até hoje sua população, além de decretar um processo caótico de ocupação do estuário vicentino”, alertou.

Por isso, a deputada defendeu estudos de impacto, mais praticidade nas ações, e lembrou que a opção do túnel é a melhor por não bloquear o Porto de Santos, o maior do País e estratégico para o futuro do Brasil. “Não dá para esperarmos mais 100 anos para vencer este desafio”. A videoconferência teve a condução do engenheiro, mestre e consultor Carlos Magano e a participação do ex-vereador e portuário José Antônio Marques Almeida, o Jama.

Fonte: Costa Norte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Prefeitura de São Vicente oferece capacitação para preparação de vitrines de lojas

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e relações do Trabalho (Sedect), em parceria com o Senac/Sebrae disponibiliza o curso de Vitrinismo...

Ônibus intermunicipal é apedrejado em tentativa de assalto em Praia Grande

Na noite de sábado (16), um ônibus que operava na linha 934EX da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU),...

Otrantur não paga empresas que sublocam micro-ônibus e frota é paralisada em São Vicente

Na manhã desta segunda-feira (18), representantes de empresas que sublocam os micro-ônibus para a Otrantur, responsável pelo transporte público de São Vicente,...

PAT de São Vicente oferece 8 vagas de emprego

Nesta segunda-feira (18), o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), de São Vicente, na baixada santista oferece 8 novas oportunidades de...

Combate à pobreza menstrual se torna lei em São Vicente

O projeto criado para combater a pobreza menstrual de mulheres em situação de vulnerabilidade se tornou lei em São Vicente, na Baixada...