quarta-feira, dezembro 1, 2021
25.6 C
São Vicente
25.5 C
Santos
26.3 C
Peruíbe
29.6 C
Praia Grande
25 C
Itanhaém
25.2 C
Guarujá
26.3 C
Mongaguá
25.3 C
Bertioga

Negligência: Laudo aponta que bebê morreu asfixiado

Leia mais

PAIXÃO DE GERAÇÃO: estética e bem-estar une mãe e filha

No esquina das ruas Bento Viana e Santa Cruz, mãe e filha seguem unidas, há mais de dez anos, a mesma missão:...

Itanhaém conta com reforço de 90 guarda-vidas para temporada de verão

A cidade de Itanhaém, no litoral de São Paulo, conta com mais 90 guarda-vidas temporários para atuarem nas praias da cidade durante...

Santos abre 60 vagas para curso voltado ao empreendedorismo

A Secretaria de Empreendedorismo, Economia Criativa e Turismo de Santos, na Baixada Santista, e o Sebrae abriram 60 vagas do curso Primeiros...

Centro Histórico de Santos terá primeira quadra pública de basquete

A Prefeitura de Santos, na Baixada Santista, irá inaugurar a primeira quadra pública de basquete 3x3, no Centro Histórico da cidade. O...

Milena Glória Cardoso, de 19 anos, que estava com 41 semanas de gestação quando perdeu o bebê, diz que procurou atendimento médico e pediu para que uma cesárea fosse realizada dias antes do óbito da filha. O bebê da grávida de nove meses que foi diagnosticada com toxoplasmose morreu asfixiado, segundo indicou o laudo necroscópico realizado em São Vicente, na baixada santista. A prefeitura afirma que seguiu todos os protocolos adequados ao caso da gestante.

A gestante sem sintomas, foi diagnosticada por meio de um exame de sangue de rotina durante o pré-natal, no 5º mês da gestação. No mês seguinte, a equipe da rede municipal de saúde, segundo ela, não solicitou a repetição do exame para acompanhar a doença.

O especialista explica que a anoxia intra-uterina significa que o bebê ficou sem oxigênio dentro da placenta. Porém, sem acesso ao prontuário médico, não é possível dizer se a causa da morte pode ter sido a toxoplasmose, uma suposta demora no parto ou um terceiro fator desconhecido.

A Secretaria de Saúde de São Vicente (Sesau) informou que, após o óbito, foi realizada uma ultrassonografia, que confirmou o óbito fetal e derrame pericárdico. Porém, a toxoplasmose não costuma gerar este tipo de condição.

Os familiares de Milena registraram um novo boletim de ocorrência, desta vez, com a versão dos parente, alegando descaso e omissão de socorro nas vezes em que a gestante pediu para que a cesárea fosse realizada e não foi atendida.

Fonte: G1 Santos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

PAIXÃO DE GERAÇÃO: estética e bem-estar une mãe e filha

No esquina das ruas Bento Viana e Santa Cruz, mãe e filha seguem unidas, há mais de dez anos, a mesma missão:...

Itanhaém conta com reforço de 90 guarda-vidas para temporada de verão

A cidade de Itanhaém, no litoral de São Paulo, conta com mais 90 guarda-vidas temporários para atuarem nas praias da cidade durante...

Santos abre 60 vagas para curso voltado ao empreendedorismo

A Secretaria de Empreendedorismo, Economia Criativa e Turismo de Santos, na Baixada Santista, e o Sebrae abriram 60 vagas do curso Primeiros...

Centro Histórico de Santos terá primeira quadra pública de basquete

A Prefeitura de Santos, na Baixada Santista, irá inaugurar a primeira quadra pública de basquete 3x3, no Centro Histórico da cidade. O...

Empreenda Rápido: Praia Grande abre inscrições para cursos gratuitos

A Prefeitura Praia Grande, na Baixada Santista, abriu inscrições para cursos gratuitos de cupcakes e de tortas e quiches. Os cursos, com...