domingo, outubro 24, 2021
19.1 C
São Vicente
19.1 C
Santos
18.8 C
Peruíbe
19.2 C
Praia Grande
19.4 C
Itanhaém
19.1 C
Guarujá
19.2 C
Mongaguá
18.7 C
Bertioga

População não aprova gasto milionário da Câmara de São Vicente

Leia mais

Por ano no país; morte violenta atinge 6,97 mil crianças e adolescentes

O Brasil teve uma média de 6,97 mil mortes violentas intencionais de crianças e adolescentes por ano nos últimos cinco anos. De...

IBGE aponta que 77,4% das novas empresas do Brasil não têm funcionários

Nesta sexta-feira (22), o IBGE divulgou, que maioria das empresas abertas no Brasil tem apenas sócio ou proprietário e não dispõe de...

Reajustes salariais em setembro ficam abaixo do INPC

O reajuste médio dos salários obtidos nas negociações em setembro ficou 1,9 ponto percentual abaixo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor...

São Vicente não terá queima de fogos no Réveillon

Nesta sexta-feira (22), a prefeitura de São Vicente, na Baixada Santista anunciou, que tradicional queima de fogos no Réveillon não será realizada...

A mobilização prevista para hoje (27) na Câmara de São Vicente, contra a iniciativa do presidente vereador Thiago Alexandre e secretários vereadores Eduardo Oliveira e Rodrigo Digão em gastar cerca de R$ 900 mil na compra de mobiliário e R$ 1,6 milhão com transmissões da sessões, totalizando R$ 2,5 milhões. Os valores do mobiliário foram reduzidos.

Com a cidade passando por um momento financeiro difícil, sem qualquer política pública de renda básica aos mais necessitados e perdão de dívidas dos pequenos e médios comerciantes como fizeram diversas cidades do país, muitas vezes com verbas devolvidas pelo Legislativo ao Executivo.Marcado para hoje (27), às 14h30 a abertura de envelopes da licitação do mobiliário.

Em ofício endereçado ao presidente da Câmara, vereador Thiago Alexandre da Silva, o Sindicato dos Servidores Municipais de São Vicente (SindservSV) sugeriu a suspensão do pregão presencial. Paralelamente, partidos políticos também se manifestaram contra a iniciativa, entre eles o vereador jefferson Cezarolli e Jhony Sasaki.

O momento não é propício para troca de mobiliário, ainda que a lei permita, mas sim, de reforçar laços de solidariedade com o povo mais necessitado.

“É importante que o poder público promova compras públicas como medidas de combate à estagnação econômica. Mas também é importante que essas compras favoreçam a população local e atenda suas demandas”, afirma Edson Paixão, presidente do SindServSV.

Outra polêmica gerada nos últimos 15 dias foi o gasto de R$ 79.230,33 na restauração de pintura de retratos e acervo das galerias dos ex-presidentes e contribuintes do Poder Legislativo. O processo se deu por inexigibilidade obedecendo os trâmites legais.

CÂMARA.

A Câmara informou que houve uma retificação no edital do mobiliário, com a retirada do lote envolvendo a troca de todas as 240 poltronas do auditório da Casa. Sendo assim, o valor atual é um terço do estimado – R$ 297.270,87, englobando todos os demais lotes antes definidos – cadeira presidente em couro ecológico; poltronas giratórias; cadeiras giratórias e operacionais com braços reguláveis; mesas; conjunto de sofá com poltronas e letreiro, entre outros.

Também informa que a contratação de uma empresa para a transmissão das sessões e para a implantação da TV Câmara já foi definida, dentro dos trâmites legais. A contratada deve, inclusive, assumir suas funções a partir da próxima sessão ordinária, na quinta (29).

Ressalta que não dispõe de estrutura e nem de equipamento, sendo que as transmissões das sessões vinham sendo feitas de forma improvisadas, com diversas
restrições.

Afirma ainda que a o intuito da TV Câmara é justamente promover a transparência do legislativo vicentino, uma vez que, além da filmagem e transmissão das sessões, a população terá acesso a reportagens, vídeos e informações do trabalho dos vereadores.

Cita que, nos últimos anos, a Câmara recebeu apontamentos do Tribunal de Contas do Estados de São Paulo (TCE-SP), no sentido de aprimorar os seu orçamento. O entendimento do órgão é que as gestões financeira, estrutural e operacional da Casa precisam ser mais bem aproveitadas, citando, inclusive, a devolução excessiva de recursos ao Executivo.

Sobre a questão da galeria, explica que um dos propósitos da instituição é resgatar a riqueza histórico-cultural do legislativo vicentino, o mais antigo das três Américas e que o espaço está em total conformidade com esse trabalho de valorização da Casa.

Fonte: Diário do Litoral

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Por ano no país; morte violenta atinge 6,97 mil crianças e adolescentes

O Brasil teve uma média de 6,97 mil mortes violentas intencionais de crianças e adolescentes por ano nos últimos cinco anos. De...

IBGE aponta que 77,4% das novas empresas do Brasil não têm funcionários

Nesta sexta-feira (22), o IBGE divulgou, que maioria das empresas abertas no Brasil tem apenas sócio ou proprietário e não dispõe de...

Reajustes salariais em setembro ficam abaixo do INPC

O reajuste médio dos salários obtidos nas negociações em setembro ficou 1,9 ponto percentual abaixo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor...

São Vicente não terá queima de fogos no Réveillon

Nesta sexta-feira (22), a prefeitura de São Vicente, na Baixada Santista anunciou, que tradicional queima de fogos no Réveillon não será realizada...

Carga de cigarros contrabandeados estimada em R$ 2 milhões é apreendida

Na manhã desta sexta-feira (22), aproximadamente 400 mil maços de cigarros de origem estrangeira foram encontrados, dentro de um caminhão que trafegava...