domingo, maio 29, 2022
21.7 C
São Vicente
21.6 C
Santos
19 C
Peruíbe
21.6 C
Praia Grande
19.7 C
Itanhaém
21.6 C
Guarujá
21.5 C
Mongaguá
21.7 C
Bertioga

Covid-19: Variante P1 altamente transmissível em São Paulo

Leia mais

Projeto ‘É Hora de Arte’ retorna em Praia Grande 

O projeto É Hora de Arte retorna para a Baixada Santista, com oficinas gratuitas de teatro, dança, circo e grafite para crianças de 7...

Motorista de aplicativo tenta dopá jovem durante corrida em Santos

Uma jovem alega que um motorista de aplicativo em Santos, na Baixada Santista, tentou dopá-la durante uma corrida. A vítima conta que,...

A partir de julho os quiosques do Gonzaguinha serão transferidos para o Itararé em São Vicente, SP 

Os quiosques da praia do Gonzaguinha serão transferidos para unidades da Praia do Itararé em São Vicente, na Baixada Santista. A medida foi...

Polícia localiza barraco do crime em Santos

A Polícia Civil em Santos, na Baixada Santista, localizou um barraco usado para preparo e estoque de drogas. Além das drogas, anotações...

A nova variante P.1 do novo coronavírus, vinda de Manaus, já responde por 90% das amostras analisadas pelo Instituto Adolfo Lutz no estado de São Paulo.

Estudo feitos pela Secretaria estadual da Saúde de São Paulo, 90% das amostras tinham prevalência da P.1. Uma das variantes mais perigosa por ser altamente transmissível, convertendo para quadro mais graves.

O estudo também demonstrou que a prevalência dessa variante no estado quadruplicou em apenas três meses. Em janeiro, ela representava 20% dos sequenciamentos. Em fevereiro, a 40%. E no mês seguinte, já respondia por 80% das amostras analisadas. Essa variante está presente em todos os 17 departamentos de saúde do estado e só não é prevalente nas regiões de São José do Rio Preto e Presidente Prudente, onde a P.2 (que surgiu no Rio de Janeiro) é mais evidente.

Nas amostras analisadas pelo Adolfo Lutz, 21 linhagens diferentes do novo coronavírus foram encontradas. Entre elas, três são variantes de atenção: a P.1 (Manaus), a B.1.1.7 (Reino Unido) e a B.1.351 (África do Sul). O estudo indica que as duas primeiras circulam mais efetivamente no estado paulista.

As variantes podem ser mais resistentes às vacinas. Por isso, é fundamental continuar fazendo o uso de máscara, higienizando as mãos com água e sabão ou álcool gel e manter o distanciamento social.

Casos autóctones

Até ontem (27), 164 casos autóctones dessas três variantes já foram identificadas em São Paulo, sendo 152 delas com confirmações da P.1. Quanto à B.1.1.7 (Reino Unido), foram confirmados nove casos, sendo cinco deles na capital e um caso nas cidades de Peruíbe, Jacareí, Guarulhos e Bauru.

Para a variante sul-africana (B.1.351), houve três notificações no estado, sendo duas delas em Sorocaba e uma em Santos.

Fonte: Diário do Litoral

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Projeto ‘É Hora de Arte’ retorna em Praia Grande 

O projeto É Hora de Arte retorna para a Baixada Santista, com oficinas gratuitas de teatro, dança, circo e grafite para crianças de 7...

Motorista de aplicativo tenta dopá jovem durante corrida em Santos

Uma jovem alega que um motorista de aplicativo em Santos, na Baixada Santista, tentou dopá-la durante uma corrida. A vítima conta que,...

A partir de julho os quiosques do Gonzaguinha serão transferidos para o Itararé em São Vicente, SP 

Os quiosques da praia do Gonzaguinha serão transferidos para unidades da Praia do Itararé em São Vicente, na Baixada Santista. A medida foi...

Polícia localiza barraco do crime em Santos

A Polícia Civil em Santos, na Baixada Santista, localizou um barraco usado para preparo e estoque de drogas. Além das drogas, anotações...

26 de maio, Dia de Concientização Nacional do Glaucoma

Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a doença que é a segunda maior causa de cegueira irreversível no mundo -...