segunda-feira, abril 19, 2021
24 C
São Vicente
24 C
Santos
22.7 C
Peruíbe
24 C
Praia Grande
21.4 C
Itanhaém
24 C
Guarujá
20.8 C
Mongaguá
24 C
Bertioga

Eleições 2020: TSE aprova envio de tropas federais a 345 localidades em sete estados

Leia mais

Cultura indígena é exaltada em exposição fotográfica on-line

As imagens captadas em intenso dia de convivência em uma aldeia indígena ganham espaço no www.facebook.com/culturasantos, a partir desta segunda-feira (19), com...

Celulares podem ajudar no combate a fraudes em bombas de combustíveis

Provar materialmente  fraudes nas bombas de postos de combustíveis  é algo que envolve equipamentos e procedimentos complexos, além de apreensões in loco e análises laboratoriais....

Grupo LGTB vai acionar Justiça contra pastor que desejou a morte de Paulo Gustavo

O pastor José Olímpio, da igreja evangélica Assembleia de Deus de Alagoas, causou polêmica ao se manifestar contra a recuperação do ator...

Ministério Público está de olho no CDP de São Vicente por violação aos direitos humanos

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP) pediu à Defensoria de Justiça do Estado cópia do relatório produzido pelo Núcleo...

Militares das Forças Armadas vão atuar em áreas de AC, AP, MA, MS, PA, RN e TO. Pedido foi feito por tribunais regionais eleitorais; primeiro turno está marcado para 15 de novembro.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta terça-feira (27), por unanimidade, o envio de tropas federais a sete estados durante o primeiro turno das eleições municipais, marcado para o dia 15 de novembro.

Os militares das Forças Armadas vão atuar para garantir a segurança durante a votação e a apuração dos votos.

Os pedidos de reforço foram feitos pelos tribunais regionais dos estados de Amapá, Pará, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Acre e Tocantins.

Os governos locais também foram consultados e deram aval para a medida. No último dia 20, um decreto do governo federal autorizou o emprego dos militares na tarefa.

As forças vão atuar em 345 localidades, divididas desta forma:

AM: 32 localidades
AC: 19 localidades
MA: 98 localidades
MS: 5 localidades
PA: 72 localidades
RN: 113 localidades
TO: 6 localidades

O presidente do tribunal, ministro Luís Roberto Barroso, ressaltou que a medida se justifica porque, nestes locais, há histórico de conflitos em pleitos anteriores, reduzido efetivo da Polícia Militar, necessidade de garantir a segurança e a integridade física da sede do cartório eleitoral e de servidores, além da distância e acesso dificultoso entre as localidades.

O primeiro turno da eleição acontece no próximo dia 15 e o segundo turno, onde houver, será no dia 29 de novembro. O calendário foi adiado em razão da pandemia do coronavírus.

Em 2018, mais de 28 mil militares das Forças Armadas foram convocados para atuar em 598 localidades nos dois turnos de votação. Em 2016, foram 25 mil militares, e em 2014, 30 mil.

Texto: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Cultura indígena é exaltada em exposição fotográfica on-line

As imagens captadas em intenso dia de convivência em uma aldeia indígena ganham espaço no www.facebook.com/culturasantos, a partir desta segunda-feira (19), com...

Celulares podem ajudar no combate a fraudes em bombas de combustíveis

Provar materialmente  fraudes nas bombas de postos de combustíveis  é algo que envolve equipamentos e procedimentos complexos, além de apreensões in loco e análises laboratoriais....

Grupo LGTB vai acionar Justiça contra pastor que desejou a morte de Paulo Gustavo

O pastor José Olímpio, da igreja evangélica Assembleia de Deus de Alagoas, causou polêmica ao se manifestar contra a recuperação do ator...

Ministério Público está de olho no CDP de São Vicente por violação aos direitos humanos

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP) pediu à Defensoria de Justiça do Estado cópia do relatório produzido pelo Núcleo...

R$ 3 bilhões foram gastos por Bolsonaro na compra de vacinas que ainda não chegaram ou que sequer foram aprovadas

O governo Jair Bolsonaro já pagou R$ 1,7 bilhão às farmacêuticas Pfizer e Janssen por vacinas contra a Covid-19 que ainda não...