quarta-feira, setembro 22, 2021
20.4 C
São Vicente
20.3 C
Santos
20.1 C
Peruíbe
20.4 C
Praia Grande
20.2 C
Itanhaém
20 C
Guarujá
19.9 C
Mongaguá
20.9 C
Bertioga

Rosana Valle quer destinação de 25% do valor de outorga para cidades portuárias

Leia mais

Baixada santista imuniza metade da população com a segunda dose contra a covid-19

Nesta terça-feira (21), a baixada santista registrou 50% da população vacinada contra a covid-19. Equivalente a 940.958 de pessoas imunizadas com a...

Jhony Sasaki articula vinda de empresas chinesas para São Vicente

O vereador de São Vicente, Jhony Sasaki, esteve na Câmara Chinesa de Comércio do Brasil, em São Paulo para buscar investimentos de...

Sem amor próprio; homem é preso suspeito de tentar matar jovem em bar por ciúmes em SP

Nesta última segunda-feira (20), um homem de 26 anos foi preso, no Centro de Miracatu, no interior de São Paulo, suspeito de...

Após descumprir medida protetiva e agredir ex-companheira; homem é preso em Juquiá, SP

Na última segunda-feira (20), um homem de 37 anos foi preso após descumprir diversas vezes uma medida protetiva em favor da ex-companheira...

A deputada federal Rosana Valle (PSB) apresentou o Projeto de Lei 623/2021, que determina a destinação de 25% do valor de outorga de arrendamentos de terminais portuários e de concessões de instalações e serviços associados ao setor, aos municípios que abrigam portos, como é o caso de Santos e Guarujá, na Baixada Santista. O valor de outorga é cobrado das empresas privadas que ganham concessões para ocupar espaços ou operar atividades controladas pelo poder público.

Os recursos decorrentes dos pagamentos destas outorgas serão depositados no Fundo Porto-Cidade, a ser constituído em conjunto pela Prefeitura e a autoridade portuária local. Os montantes deverão ser utilizados para a eliminação ou mitigação de conflitos na relação porto-cidade.

A gestão do fundo deverá ser feita de forma paritária. Os 25% a serem destinados às cidades incluem concessões de serviços logísticos e de transporte em qualquer modal.

Quando um arrendamento ou concessão abranger mais de um município, como no caso do Porto de Santos, o montante previsto em lei será divido entre eles, tendo como critério de distribuição a população das cidades, com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Reduzir conflitos

A deputada lembrou que as atividades portuárias geram impactos nas áreas urbanas dos municípios e vice-versa, que geram conflitos na relação porto-cidade.

As cidades portuárias sofrem com danos à infraestrutura e mobilidade urbanas por conta do tráfego e estacionamento irregular de veículos rodoviários de carga em vias públicas, prejudicando pavimentos e redes subterrâneas, além de causarem poluição ambiental, do ar e sonora.

As atividades portuárias também atraem vetores de doenças, no caso da operação de granéis agroalimentares, como é o caso do número elevado de pombos e roedores. Há ainda os riscos decorrentes da operação e armazenagem de produtos perigosos, que já provocaram incêndios, vazamentos e explosões em cidades com portos.

Estes problemas provocam gastos extras nas prefeituras e acabam criando uma visão negativa das atividades portuárias perante os munícipes.

“A destinação deste percentual de valor de outorga, ao fundo a ser criado, permitirá a disponibilização de recursos para a eliminação ou mitigação desses conflitos, além de, por terem gestão paritária, favorecer a melhoria da relação porto-cidade”, afirmou Rosana Valle.

A parlamentar ressaltou que esta receita não terá impacto na arrecadação de impostos pela União, sendo que os valores de outorga variam conforme o objeto da licitação, mantido o percentual de 25%.

A deputada destacou a importância do sistema portuário nacional, por onde circula até 95% da balança comercial do País. “O mesmo vale para os municípios que abrigam as instalações portuárias, que fornecem mão de obra e serviços indispensáveis a este pujante setor.”

Rosana entende que a medida trará melhoria da relação porto-cidade e favorecerá a produtividade, competitividade e expansão das atividades portuárias de forma sustentável.

Fonte: Diário do Litoral

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Baixada santista imuniza metade da população com a segunda dose contra a covid-19

Nesta terça-feira (21), a baixada santista registrou 50% da população vacinada contra a covid-19. Equivalente a 940.958 de pessoas imunizadas com a...

Jhony Sasaki articula vinda de empresas chinesas para São Vicente

O vereador de São Vicente, Jhony Sasaki, esteve na Câmara Chinesa de Comércio do Brasil, em São Paulo para buscar investimentos de...

Sem amor próprio; homem é preso suspeito de tentar matar jovem em bar por ciúmes em SP

Nesta última segunda-feira (20), um homem de 26 anos foi preso, no Centro de Miracatu, no interior de São Paulo, suspeito de...

Após descumprir medida protetiva e agredir ex-companheira; homem é preso em Juquiá, SP

Na última segunda-feira (20), um homem de 37 anos foi preso após descumprir diversas vezes uma medida protetiva em favor da ex-companheira...

PF realiza operação contra fraude na montagem de hospitais de campanha

Nesta terça-feira (21), a Polícia Federal (PF) realiza uma operação para investigar fraudes na montagem de hospitais de campanha. Estão sendo cumpridos...