quinta-feira, setembro 23, 2021
17.4 C
São Vicente
17.3 C
Santos
16.8 C
Peruíbe
17.4 C
Praia Grande
17.4 C
Itanhaém
17.8 C
Guarujá
17.1 C
Mongaguá
19.3 C
Bertioga

Dos 180 leitos de hospital de campanha prometido pelo governo Doria, apenas 60 foram entregues

Leia mais

Queiroga diz estar preocupado com a saúde; não com repercussão de gesto obsceno

Nesta quarta-feira (22), O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, diagnosticado com Covid-19,  falou sobre a repercussão de sua reação a um protesto de...

Fiocruz desenvolve teste molecular para detectar hanseníase

Após décadas de pesquisas, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) desenvolveu o primeiro teste molecular para hanseníase, inédito no país. Trata-se do Kit...

ketchup: Heinz lança edição especial com rótulo “plantável”

A Heinz lança uma promoção que dará 300 embalagens de seu ketchup com rótulos plantáveis. Convidando o consumidor a plantar e cultivar...

Mutirão da catarata: Pacientes que perdem a visão após cirurgia; buscam por justiça

Em um mutirão realizado em julho de 2017, no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Praia Grande, na baixada santista. Três idosos passaram...

Após quase duas semanas de atraso, o governo de São Paulo vai inaugurar na tarde desta terça-feira o hospital de campanha de Santa Cecília, no Centro de São Paulo. A gestão prometeu 180 leitos, mas entregará apenas 60. A unidade será referência para atender pacientes contaminados pelo coronavírus.

O hospital começou a receber pacientes no último domingo (11), mas a inauguração oficial está prevista para as 15h desta terça.

Quando anunciada pelo governo estadual, a unidade seria disponibilizada para atender pacientes de Covid no dia 31 de março. Entretanto, atrasos na instalação de equipamentos de oxigênio prejudicaram a liberação.

Nomeado de Hospital Metropolitano, a unidade foi prometida com 130 de enfermaria e 50 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas terá 40 de enfermaria e 20 de UTI. O prédio é de propriedade particular e foi cedido ao estado. O texto conta com informações do “G1”.

À época, o governador João Doria disse que seriam investidos R$ 12 milhões por mês para custeio do hospital. Na ocasião, também foi informado que o unidade teria uma equipe de 900 profissionais, sendo 150 médicos.

No total, cerca de 900 profissionais deverão atuar na unidade, sendo 150 médicos, além de enfermeiros, técnicos e funcionários administrativos.

No início do mês passado, a gestão estadual prometeu inaugurar 11 hospitais de campanha. Desses, apenas dois estão em operação, um em Campinas e um em Barretos.

Fonte: Diário do Litoral

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Queiroga diz estar preocupado com a saúde; não com repercussão de gesto obsceno

Nesta quarta-feira (22), O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, diagnosticado com Covid-19,  falou sobre a repercussão de sua reação a um protesto de...

Fiocruz desenvolve teste molecular para detectar hanseníase

Após décadas de pesquisas, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) desenvolveu o primeiro teste molecular para hanseníase, inédito no país. Trata-se do Kit...

ketchup: Heinz lança edição especial com rótulo “plantável”

A Heinz lança uma promoção que dará 300 embalagens de seu ketchup com rótulos plantáveis. Convidando o consumidor a plantar e cultivar...

Mutirão da catarata: Pacientes que perdem a visão após cirurgia; buscam por justiça

Em um mutirão realizado em julho de 2017, no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Praia Grande, na baixada santista. Três idosos passaram...

TJ-SP exigirá comprovante de vacinação contra a covid-19 para liberar acesso de entrada em Fóruns

A partir da próxima segunda-feira (27), o Tribunal de Justiça (TJ) passará a exigir o comprovante de vacinação contra a Covid para...