sexta-feira, maio 27, 2022
23.3 C
São Vicente
23.3 C
Santos
19.3 C
Peruíbe
23.3 C
Praia Grande
20.6 C
Itanhaém
23.3 C
Guarujá
23.1 C
Mongaguá
23.3 C
Bertioga

Lockdown: Prefeito de Mongaguá vê efeitos positivos e diz, “conscientização é o segredo”

Leia mais

Projeto ‘É Hora de Arte’ retorna em Praia Grande 

O projeto É Hora de Arte retorna para a Baixada Santista, com oficinas gratuitas de teatro, dança, circo e grafite para crianças de 7...

Motorista de aplicativo tenta dopá jovem durante corrida em Santos

Uma jovem alega que um motorista de aplicativo em Santos, na Baixada Santista, tentou dopá-la durante uma corrida. A vítima conta que,...

A partir de julho os quiosques do Gonzaguinha serão transferidos para o Itararé em São Vicente, SP 

Os quiosques da praia do Gonzaguinha serão transferidos para unidades da Praia do Itararé em São Vicente, na Baixada Santista. A medida foi...

Polícia localiza barraco do crime em Santos

A Polícia Civil em Santos, na Baixada Santista, localizou um barraco usado para preparo e estoque de drogas. Além das drogas, anotações...

 O prefeito Márcio Melo Gomes, o Márcio Cabeça (Republicanos), esteve presente no Bom Dia Cidades, da Santa Cecília TV, na manhã desta quarta-feira (15) para fazer um balanço dos 100 primeiros dias de governo. Na ocasião, revelou que o maior desafio foi lidar com a covid-19, especialmente após a morte do pai e do irmão .

Cabeça foi reeleito prefeito com 14.046 votos, a maior votação na história de Mongaguá. Formado em Administração Pública, o chefe do Executivo foi vereador por dois mandatos e vice-prefeito por seis anos (um mandato e meio), assumindo a Administração da cidade no final de 2018.

Uso de máscara

Mongaguá tornou obrigatório o uso de máscara um ano após o início da pandemia. Apesar da decisão controversa, Cabeça justificou: “seguimos as determinações do estado, dentro de uma consciência da população. A decisão não foi pessoal por conta do falecimento do meu pai e do meu irmão, foi diante ao agravamento da situação na saúde”, disse.

De acordo com ele, durante o ano, tinha 4 ou 5 pessoas com covid e ainda a retaguarda dos hospitais estaduais para atender o morador sem risco, era “tranquilo de governar”. Contudo, os números cresceram e atingiu entre 27 e 28 pessoas.

“O oxigênio que era trocado três vezes na semana, passou a ser trocado 49. Não há medicamento para quem precisa ser intubado. Como gestor, tive que tomar medidas duras e que a população não aceita, mas que promovem resultados”, contou.

Efeitos de lockdown

De março a dezembro do ano passado, foram perdidas 42 vidas no município. De janeiro a março deste ano, perdemos 53 vidas. Sendo assim, para Cabeça, o lockdown era inevitável.

Segundo o prefeito, os efeitos do isolamento durante uma fase mais restritiva, mesmo com algumas pessoas resistindo as medidas adotadas, foram positivos. “Antes, estava desesperado pelo colapso na região. Hoje, observo uma queda na procura com sintomas de covid e as internações são sem intubação”.

Finanças na pandemia

A pandemia impactou nas finanças do município. Conforme o prefeito, além de queda na arrecadação, há aumento nas despesas. “Sem antes tínhamos 11 médicos, hoje temos 18. Se eram 100 auxiliares, agora são 200. Enfermeiros, a mesma coisa. Fora medicamentos e oxigênio. Sinto que algumas pessoas não entendem que o dinheiro da prefeitura não cai do céu. Mas se não entrar, não temos como fazer”, destacou.

Cabeça contou que despesas foram cortadas para não faltar na saúde, e isso está promovendo um equilíbrio.

Vacinação

Para o político, há uma falta de sintonia entre os governos federal, estadual e municipal. “Sinto que há mais marketing do que algo efetivamente feito. Estamos vacinando pela faixa-etária, concordo. Mas todos devem ser atendidos. Não dá para vacinar 80 anos e pular para 79, antes de terminar esse primeiro grupo. Temos um déficit de duas mil doses e continuamos pulando de faixa”, opinou.

Além disso, contou que há uma cobrança junto ao governo, porque o município não recebe imunizantes suficientes.

Nova fase

No momento, a Baixada Santista se encontra na fase vermelha. Há, no entanto, uma expectativa de mudança para a semana que vem. Márcio Cabeça acredita em um avanço, desde que aja colaboração popular. “A vacina é o segredo. Mas enquanto não temos para todos os grupos, precisamos fazer distanciamento, higienizar as mãos e usar máscaras”, alertou.

Fiscalização de praia

No litoral, tem se notado uma grande dificuldade em fiscalizar a orla e evitar o desrespeito às medidas por parte da população. Por conta dos 13 km de praia e menor número de GCM, é desafiador o controle.

“É uma briga contra a falta de conscientização. O guarda vai, pede para se retirar e quando o agente volta a circular, a pessoa volta”, disse.

Barreiras sanitárias

Também reforçou ações como barreiras sanitárias de conscientização na entrada da cidade e na área rural, além de abordagens nas praias e comércio. Para isso, formou uma força-tarefa com profissionais da Saúde, GCM, Semutran, Defesa Civil, Meio Ambiente e Fiscalização do Comércio.

Dengue

Para Cabeça, a luta contra a covid-19 impactou o combate ao mosquito aedes aegypti. Contudo, o município está providenciando a contratação de novos profissionais e declarou que está fazendo um trabalho de conscientização através das lives.

Drenagem

O prefeito Márcio Cabeça também reforçou o trabalho em outros segmentos, como drenagem. As ações foram ampliadas em todos os bairros, principalmente em pontos estratégicos, onde historicamente a população sofria em decorrência das fortes chuvas. A limpeza de rios e córregos com a máquina anfíbia, por exemplo, já está surtindo efeitos na região da Marcelino Rodrigues de Meira (Agenor de Campos), Avenida Um (Jardim Praia Grande) e na Avenida Washington Luiz (Vera Cruz / Vila Atlântica).

Também iniciou o alargamento do Canal 1, implantação de tubos na avenida Nossa Senhora de Fátima e, em breve, começarão as obras de prolongamento do Canal 8 e da galeria de águas pluviais na Vila São Paulo.

Iluminação de LED

Diversos bairros de Mongaguá já estão sendo contemplados com a nova iluminação de LED, como a Vila Atlântica, Pedreira, Vila Nova e Vera Cruz, além das principais ruas e avenidas. Todo o município receberá o novo sistema.

Praças são revitalizadas

As praças de Mongaguá estão sendo revitalizadas. A Praça de Eventos Dudu Samba, por exemplo, está sendo totalmente repaginada. O projeto, segundo a Diretoria de Obras Públicas, abrange uma área superior a 10 mil metros quadrados.

O piso antigo foi substituído por pavimentação com blocos intertravados de concreto. Também houve a construção de uma rotatória e implantação de novo sistema de iluminação, além de pista de atletismo e ciclovia.

Mais de 60 mil metros quadrados de pavimentação

Nesses primeiros 100 dias de governo, o prefeito Márcio Cabeça impulsionou a pavimentação de ruas e avenidas. Foram mais de 60 mil metros quadrados de vias pavimentadas, contemplando bairros como Jardim Praia Grande, Vila Seabra, Vila Atlântica (incluindo vias próximas ao CDHU), Jardim Leonor, Flórida Mirim e Itaguaí. Além disso, estão sendo realizados serviços de recapeamento nas principais ruas e avenidas do município.

Mutirões de Limpeza intensificados

Mesmo com o afastamento de mais de 100 servidores públicos por serem considerados do grupo de risco, em caso de contágio de Covid, a Prefeitura de Mongaguá intensificou os mutirões de limpeza manual e mecânica nos bairros.

Educação

A Diretoria de Educação de Mongaguá tem se empenhado para garantir estrutura no ensino da cidade, principalmente, neste período de pandemia. Em fevereiro, iniciou a retomada gradual de atividades presenciais, com capacitação de profissionais e sanitização das unidades de ensino.

Com o alto índice de contaminação dos últimos meses e a implantação da Fase Emergencial do Governo do Estado, o município reforçou atividades à distância e implantou o programa Merenda na Escola, que segue até esta sexta-feira (16), garantindo alimentação para os alunos e seus parentes que procuraram um dos 11 polos da cidade.

Mongaguá tem se preparado para a retomada das atividades. Só nesses 100 dias de Administração, adquiriu três novos ônibus, num total de nove conquistados em pouco mais de dois anos. Hoje, a cidade possui 15 ônibus escolares próprios para o transporte de alunos.

O esporte também tem recebido investimentos, com a implantação de uma quadra de futebol society, em Agenor de Campos.

Fonte: Santa Portal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Projeto ‘É Hora de Arte’ retorna em Praia Grande 

O projeto É Hora de Arte retorna para a Baixada Santista, com oficinas gratuitas de teatro, dança, circo e grafite para crianças de 7...

Motorista de aplicativo tenta dopá jovem durante corrida em Santos

Uma jovem alega que um motorista de aplicativo em Santos, na Baixada Santista, tentou dopá-la durante uma corrida. A vítima conta que,...

A partir de julho os quiosques do Gonzaguinha serão transferidos para o Itararé em São Vicente, SP 

Os quiosques da praia do Gonzaguinha serão transferidos para unidades da Praia do Itararé em São Vicente, na Baixada Santista. A medida foi...

Polícia localiza barraco do crime em Santos

A Polícia Civil em Santos, na Baixada Santista, localizou um barraco usado para preparo e estoque de drogas. Além das drogas, anotações...

26 de maio, Dia de Concientização Nacional do Glaucoma

Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a doença que é a segunda maior causa de cegueira irreversível no mundo -...