segunda-feira, setembro 27, 2021
27.9 C
São Vicente
27.5 C
Santos
24.9 C
Peruíbe
28 C
Praia Grande
27.6 C
Itanhaém
27.4 C
Guarujá
28.9 C
Mongaguá
28 C
Bertioga

Vereador elogia MPF por notificar Caixa Econômica para reduzir filas de espera

Leia mais

Homem reage a assalto e persegue ladrão

Na tarde do último domingo (26), um homem reagiu a um assalto e saiu correndo atrás do criminoso em São Vicente, na...

Rap pagará multa de R$ 2,4 milhões à Justiça Federal por tráfico internacional de drogas

O narcotraficante André do Rap, foi condenado a pagar uma multa de mais de R$ 2,4 milhões à Justiça Federa, referente ao...

Porto de Santos: Receita localiza grande quantidade de munição em meio à carga importada

Na última quinta-feira (23), durante uma conferência em carga importada, a Receita Federal localizou grande quantidade de munição para armas de fogo...

Doria anuncia volta de torcida aos estádios em SP a partir de outubro

Na última quinta-feira (23), o Governador João Doria anunciou, a liberação do acesso do público aos estádios nas partidas de futebol em...

As constantes filas na Caixa Econômica Federal podem estar com os dias contados. Isso porque o Ministério Público Federal – MPF entrou com ação para que a Caixa Econômica Federal reduza o tempo de espera para atendimento presencial nas agências de São Vicente, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe, na Baixada Santista. Caso a Caixa não cumpra com as exigências, haverá sanções e multas.

O vereador vicentino Jhony Sasaki (PSB), que desde o início do ano vem cobrando medidas da instituição financeira, comemorou a decisão. “Nosso trabalho está surtindo efeito. Em plenário, apresentei um requerimento cobrando medidas à Caixa Econômica e Prefeitura. Agora, um importante passo foi dado. Mas não vou me contentar enquanto o problema não for resolvido. Vamos ficar atentos e fiscalizar ainda mais”, argumentou.

Ainda no dia 19 de fevereiro, Sasaki publicou um vídeo nas redes sociais denunciando o fato e mostrando a enorme fila que se forma diariamente na agência do Centro de São Vicente. Na oportunidade, uma criança de 9 anos, que estava junto com a mãe, passou mal na fila. A publicação repercutiu nas redes sociais com quase 15 mil visualizações.

O também vereador Gustavo Palmieri (PSB) havia apresentado uma indicação ao Executivo para colocação de tendas nas agências bancárias do município. No documento, ele alega que em muitos dias de Sol e chuva, devido ao Covid, muitas pessoas precisam aguardar do lado de fora das agências.

Quais serão as exigências

A exigência é que estabelecimentos respeitem as leis municipais, em geral com prazo máximo de 30 minutos para que os consumidores sejam atendidos. O tempo de espera nessas cidades, segundo o órgão, chega a até duas horas. A ação pede ainda que o banco seja condenado a pagar no mínimo R$ 200 mil de indenização pelos danos morais causados à coletividade.

Divulgação: MPF

Multa

O descumprimento das medidas foi denunciado por clientes da própria instituição. Em diligências realizadas pelo MPF entre janeiro e fevereiro, servidores aguardaram mais de uma hora em quatro tentativas de atendimento em agências de São Vicente e Praia Grande. Em duas oportunidades, o tempo de espera passou de duas horas, chegando a 2 horas e 35 minutos.

Em São Vicente, a lei prevê o prazo de 20 a 45 minutos até o atendimento, dependendo do período do mês e do ano. Já em Praia Grande, a espera dos usuários não deve levar mais de 25 minutos. Além dos regramentos municipais, a Lei Estadual paulista 10.993/2001 e o Normativo SARB nº 4/2009, do Sistema de Autorregulação Bancária da Federação Brasileira de Bancos – Febraban, também limitam a 30 minutos o tempo de espera pelo atendimento nas agências.

Riscos na pandemia

A constante violação aos direitos dos consumidores segundo o MPF se mostra ainda mais preocupante no atual contexto de disseminação da covid-19.

“O longo tempo de espera para atendimento presencial em agências bancárias implica na formação de extensas filas, sendo que, no mais das vezes, não se observa o adequado distanciamento entre as pessoas, culminando com aglomerações e potencial disseminação do vírus em questão”, alerta o procurador da República Ronaldo Ruffo Bartolomazi, autor da ação civil pública.

O membro do MPF destaca ainda que a pontual carência de funcionários não pode servir de pretexto para o não cumprimento dos deveres da instituição financeira.

“Os bancos, na organização interna de suas agências, têm o mau hábito de colocar um número sensivelmente maior de funcionários para oferecer, via telefone ou e-mail, serviços mais lucrativos, incluindo-se nesse público-alvo correntistas que tenham contas mais polpudas. E esquecem, com isso, de que há pessoas a serem atendidas na fila do caixa, pessoas essas normalmente integrantes de camadas mais baixas da população, sob o aspecto econômico e social”, ressalta.

Pedidos

Buscando garantir o atendimento digno e preservar a saúde dos usuários da Caixa, o MPF requer urgência na redução do tempo de espera nas agências de São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe. A ação pede que o banco adote, em 30 dias, todas as providências cabíveis para que o atendimento nos caixas e demais setores de atendimento ao público seja realizado no prazo fixado nas respectivas leis dos municípios da Baixada Santista.

Além disso, em cada agência, devem ser destinados caixas ou setores de atendimento exclusivo ou preferencial a idosos, gestantes e pessoas com deficiência, na proporção que se fizer necessária para a adequada prestação do serviço a esses públicos e aos clientes em geral. A instituição também deverá implantar um sistema de controle nos estabelecimentos bancários, entregando senha a todos os usuários, independentemente de prévia solicitação. As senhas deverão registrar o horário de ingresso do cliente na unidade, o que inclui a primeira fila de triagem, muitas vezes formada do lado de fora das dependências físicas do banco.

O MPF pede ainda que sejam afixados cartazes, nas agências, esclarecendo ao público o prazo máximo de espera para atendimento, conforme determinado na respectiva lei municipal. Também deve ser divulgada, em locais de fácil visualização, a escala de horário dos caixas e demais setores de atendimento ao público, de modo que os usuários do banco possam fiscalizar se todos os funcionários previamente designados se encontram, de fato, disponíveis para a prestação do serviço.

A ação pede que a Caixa pague multa de R$ 20 mil para cada caso de descumprimento injustificado, valor a ser revertido ao Fundo Federal de Direitos Difusos. Além disso, o MPF requer que o presidente da instituição, o superintendente executivo do banco no Litoral Paulista e Vale do Ribeira e o superintendente regional na Baixada Santista sejam notificados pessoalmente para que adotem as providências requeridas em caráter de urgência, sob pena de multa diária de R$ 5 mil, a recair sobre o patrimônio pessoal de cada um deles.

Danos morais

Ao final do processo, o MPF quer que a Caixa seja condenada a pagar no mínimo R$ 200 mil de indenização pelos danos morais difusos causados à coletividade. A ação destaca que a demora excessiva causada pelo banco impõe à sociedade desperdício de tempo, além de abalo psíquico e sentimento de desprestígio. “É indubitável que a espera prolongada no interior de agência bancária gera no usuário, sob o prisma individual, sensação de impaciência, desconforto e humilhação. Em outras palavras, o tempo desperdiçado em filas, a permanência em pé por longos períodos, produz no consumidor de tal serviço frustrações e outras sensações negativas, em verdadeiro escárnio ao princípio da dignidade da pessoa humana”, analisa Ronaldo Bartolomazi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Homem reage a assalto e persegue ladrão

Na tarde do último domingo (26), um homem reagiu a um assalto e saiu correndo atrás do criminoso em São Vicente, na...

Rap pagará multa de R$ 2,4 milhões à Justiça Federal por tráfico internacional de drogas

O narcotraficante André do Rap, foi condenado a pagar uma multa de mais de R$ 2,4 milhões à Justiça Federa, referente ao...

Porto de Santos: Receita localiza grande quantidade de munição em meio à carga importada

Na última quinta-feira (23), durante uma conferência em carga importada, a Receita Federal localizou grande quantidade de munição para armas de fogo...

Doria anuncia volta de torcida aos estádios em SP a partir de outubro

Na última quinta-feira (23), o Governador João Doria anunciou, a liberação do acesso do público aos estádios nas partidas de futebol em...

Negligência: Laudo aponta que bebê morreu asfixiado

Milena Glória Cardoso, de 19 anos, que estava com 41 semanas de gestação quando perdeu o bebê, diz que procurou atendimento médico...